Oliveira do Hospital... no sopé da Serra da Estrela!
21
Jun 07
publicado por OHpositivo - Nuno Oliveira, às 00:01LINK DO POST | COMENTAR

Ele é um dos embaixadores de Oliveira do Hospital por esse Portugal e essa Europa fora.

É com muito orgunho que hoje edito neste "post" uma breve entrevista dada por um grande amigo, homem e, neste caso, grande jogador de futebol: Carlos Martins.

Nesta que é uma nova etapa da sua vida, enquanto jogador profissional de futebol, o mesmo se disponibilizou prontamente a cedê-la, demonstrando mais uma vez a sua humildade perante o ser humano que é:

OH+ - Depois de catorze anos no Sporting Clube de Portugal, que melhor impressão fica registada em ti, deste clube?

C.M. - É um grande Clube, fez-me crescer como homem e acima de tudo como jogador pois, tudo o que sou e o que tenho devo-o ao Sporting.

OH+ - Qual foi o treinador que mais te marcou até hoje na tua carreira?

C.M. - O mister Osvaldo, o meu primeiro treinador nos infantis do Sporting.

OH+ - O que esperas desta tua nova "aventura", e primeira fora de Portugal, no Recreativo de Huelva?

C.M. - Acima de tudo espero ter saúde, mas como só isso não chega, um pouco de sorte também é bem vinda.

OH+ - Esperas voltar à Selecção Nacional?

C.M. - Sim espero. É um dos meus principais objectivos como atleta.

OH+ - O João, teu irmão, como prevês que seja o seu futuro como profissional de futebol?

C.M. - Prevejo um futuro risonho, cheios de momentos felizes e de grandes conquistas.

OH+ - Por fim, que mensagem podes deixar àqueles para quem tu és um ídolo, principalmente aos mais jovens?

C.M. - Que lutem por aquilo com que sonham, porque foi assim que cheguei onde estou. §

 

Saiba mais sobre ele:

Nome: CARLOS Jorge Neto MARTINS

Idade: 25 anos (29/04/82)

Naturalidade: Gavinhos de Cima - Oliveira do Hospital

Altura: 1.72 m

Peso: 73 kg

Posição: Médio Ofensivo

 

Oriundo dos infantis do Grupo Desportivo Tourizense, foi jogar para o Sporting Clube de Portugal em 1993 com apenas 11 anos. Após o seu primeiro ano, e dadas as dificuldades de adaptção, longe da família, acaba por regressar à sua terra natal, para aqui jogar nos iniciados do Futebol Clube Oliveira do Hospital.

Em 1995, volta definitivamente à "casa-mãe". Nas camadas jovens do Sporting, integra as equipas de juvenis e juniores.

Presença assídua nas selecções juvenis de Portugal, destacam-se: a participação no Europeu de Sub-17 na Polónia em 1998 e a presença no Torneio de Toulon no ano de 2001 (prova ganha pela Selecção de Portugal nesse ano).

Carlos Martins é lançado na equipa principal do Sporting pelo treinador Augusto Inácio a 16/09/2000, num jogo entre o Sporting e o Alverca a contar para a Primeira Liga Portuguesa. Aí, teve a primeira oportunidade de demonstrar as suas potencialidades a todos aqueles que não conheciam o seu percurso tanto no Sporting como nas selecções nacionais mais jovens, ao efectuar uma exibição positiva cheia de garra e vontade.

Nessa época de 2000/2001, Carlos Martins fazia, também, parte da então formada Equipa B, treinada por Jean Paul.

Também, em 2001 participa no Torneio Internacional de Toulon, onde marca o golo contra a Holanda que colocou Portugal na final.

Na época 2001/2002, Carlos Martins é emprestado à filial do Sporting, Sporting Clube Campomaiorense. Adquiriu experiência na II Liga ao serviço do clube alentejano onde se pautou como um dos principais jogadores da equipa treinada por Diamantino Miranda.

Com o Sporting a sagrar-se campeão na época 2001/2002, Lazlo Boloni organiza o estágio de final de época para observar os jogadores que estiveram emprestados naquela época, onde de entre eles constava o próprio Carlos Martins.

Após jogos como o Deportivo da Coruña e Alverca, o treinador decide incluir Carlos Martins no plantel leonino.

Logo no primeiro jogo oficial da época, Sporting vence por 5-1 na decisão da Supertaça face ao Leixões, em Setúbal. Carlos Martins usando a camisola 26 entra na segunda parte e foi o autor do melhor golo da partida com um pontapé de fora da área.

Nessa temporada, Carlos Martins participa ocasionalmente nas partidas do Sporting. No entanto, quando jogava era um dos principais jogadores em campo. Em Belgrado, entra aos 20 minutos e participa nas jogadas dos 3 golos leoninos. No Bessa, com o jogo empatado a 1-1, Carlos efectua um dos seus célebres passes de "morte" para Cristiano Ronaldo colocar o resultado em 2-1 a favor do Sporting. Mesmo assim, e dada a sua diminuta utilização, na equipa de Lazlo Boloni, acaba  por ser emprestado durante a 2ª volta à Académica de Coimbra.

Ao serviço da Briosa, é treinado por Artur Jorge que vê nele um dos principais motores do ataque dos estudantes. Realiza 15 jogos pela equipa e marca 2 golos. Nesta altura, continua a ser presença assídua na selecção Sub-21 de Portugal.

Em 2003/2004, Fernando Santos assume o comando da equipa do Sporting. O esquema táctico 4x3x3 parece indicado para Carlos Martins, habituado a jogar no miolo a municiar o jogo ofensivo da equipa. Na pré-época é chamado regularmente a titular da equipa, formando juntamente com Tello e Rochemback, o trio do meio campo leonino.

No entanto, começam a surgir aquilo que os analistas utilizam para justificar o principal entrave para a explosão de Carlos Martins: as lesões. Um problema físico surge no início da época e este facto impede Carlos de participar no início oficial da temporada do Sporting. Já recuperado, Carlos marca em dois jogos, contra o Gil Vicente (1x1) e contra o Alverca (vitória do Sporting por 2x1). Mas, antes do final da época, uma nova lesão impede Carlos Martins de jogar pela equipa leonina.

Em 2004/2005, sob o comando de José Peseiro, o Sporting realizou uma das suas melhores épocas dos últimos anos. Esta é considerada por muitos como a melhor época de Carlos Martins no Sporting. A sua utilização como médio-direito foi a alternativa encontrada por José Peseiro para poder colocar em campo um quarteto de luxo no Meio-Campo, composto por Carlos, Custódio, Rochemback e Hugo Viana.

Durante várias jornadas consecutivas, Carlos é considerado como um dos melhores jogadores em campo e o principal dinamizador do caudal ofensivo e transição atacante do Sporting. Nessa época, o último jogo de Carlos foi contra o Futebol Clube do Porto, onde foi autor do 2º golo leonino, antes de uma lesão o faz voltar a parar.

Em 2005/2006, as esperanças do Sporting residem agora em 2 jovens formados no clube: João Moutinho e Carlos Martins. Mas, nesta época, as lesões voltam a assolar Carlos Martins, razão que o impedem de realizar uma época regular. Ainda assim, realiza exibições interessantes com destaque para a vitória sobre o Vitória de Guimarães em Alvalade, onde marca o 1º golo e dá o segundo a marcar a Deivid, e a vitória em Setúbal novamente por 2-1, onde volta a marcar o 1º golo e marca o livre que origina o 2º golo leonino apontado por João Moutinho.

Na época 2006/2007 passa a envergar a camisola número 10 da equipa leonina.

Após um bom início de época, é convocado por Scolari para a Selecção principal de Portugal, ficando a data de 22/08/2006,  como um dia marcante, dado o orgulho de ser chamado à Selecção A.

Por fim, na época 2007/2008, é um dos reforços do Recreativo de Huelva, sendo esta a sua primeira aventura no estrangeiro e logo num clube vizinho de Portugal, e sua grande aposta para dar um novo rumo à sua carreira, após abandonar o clube do coração, Sporting Clube de Portugal.

 

Resta-me agora, desejar-te as maiores felicidades e o maior sucesso pessoal e desportivo em prol da conquista dos teus sonhos e objectivos reais. Abraço amigo.  

 

Como amigo que sou do Carlos desejo-lhe as maiores felicidades nesta sua nova aventura por terras de nuestros hermanos.
Contudo espero ainda voltar a vê-lo jogar pelo nosso GRANDE SPORTING...
Vitor a 21 de Junho de 2007 às 11:28

gostava muito de te dar os parabéns pelo exelente trabalho ao longo dos anos pois és um campeão
marina a 23 de Dezembro de 2010 às 21:09

Por um Concelho melhor!

Saiba mais, clique AQUI.





Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


23



pesquisar neste blog
 
links